Barbearia A Banca I – Campo Grande

O projeto  “A Banca” consiste na junção de elementos existentes na edificação com a releitura retrô do conceito de barbearia. Os elementos externos do prédio proporcionam a visibilidade da marca, tornando fácil a localização da loja. 

O teto amarelo traz claridade a entrada contrastando com as molduras pretas. A comunicação visual desempenha papel importante, pois o letreiro “barbershop” se torna chamativo aos pedestres, bem como o layout que compõe a marca transforma-se em elemento de atratividade e identificação nas redes sociais.

O cliente ao entrar na loja pode visualizar o balcão de espera e as cadeiras de atendimento. A paginação do piso muda conforme o local de trabalho dos profissionais. Um detalhe: na parte superior aos espelhos há placas de identificação com os nomes dos barbeiros, tornando o atendimento mais informal e direto.

Um portal identifica a sala de espera onde localiza-se o mezanino, assim os clientes podem aproveitar as facilidades que a barbearia proporciona: mesa de pebolim, vídeo game ou simplesmente relaxar ao som de uma música. Conforto que é imprescindível ao esperar o atendimento. O mezanino é coberto com uma tela, fios da elétrica de fácil visualização, deixando um estilo industrial em evidência. Toda elétrica com elementos artesanais são distribuídos no mezanino. Esses elementos são desenhados por cabos PP levando a eletricidade aos “spots” feitos em serralheria e idealizados especificamente para a melhor adequação ao projeto.

O grafite elaborado por João Rodrigues com dimensão aproximada de 3m², ocupa grande área da parede superior do mezanino onde descem os pendentes de estilo industrial. Os sofás escolhidos fazem parte do acervo de projetos do arquiteto Josef Hoffmann. O móvel cujo nome é “Sofá Kubus” foi desenhado em 1910 e influenciou o estilo Art Deco no início do século passado.

  • Client Thiago Doneda
  • Date 18 de outubro de 2016
  • Tags Arquitetura Comercial